Início / Avisos / Emidio abre Campanha contra a Poliomielite em Osasco

Emidio abre Campanha contra a Poliomielite em Osasco

Emidio abre Campanha contra a Poliomielite em Osasco O prefeito de Osasco, Emidio de Souza e o secretário de Saúde, Gelso de Lima, fizeram a abertura oficial da 8ª Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite, no sábado, 14 de junho, na UBS “Helena Marrey”, Jardim Rochdale.

Nessa 1ª etapa da imunização foram vacinadas 50.336 crianças de 0 a 5 anos. A Campanha continua nas Unidades Básicas de Saúde até sexta-feira, 18 de julho.

Para esta primeira fase da Campanha foram mobilizados vários postos fixos e volantes em toda a cidade. A segunda etapa da vacinação contra a paralisia ocorrerá em 9 de agosto.

Em seguida, na companhia da primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Marcia Abreu, o prefeito levou seus filhos, Marina, 5 anos e Arthur, 4 anos, para a vacinação na Policlínica Dr. João Domingos Correia, Bela vista.

Campanha contra Rubéola

No dia 9 de agosto, terá também o início a Campanha de Vacinação Adulto, entre 20 e 39 anos, contra a Rubéola. Há aproximadamente 216 mil pessoas nessa faixa etária para serem vacinadas na cidade.

A rubéola é uma doença infecciosa ocasionada por um vírus do gênero Rubivirus, é mais comum em crianças, mas pode ocorrer também em adultos.

O modo de transmissão é através do contato com as secreções nasofaríngeas de pessoas infectadas. A infecção é produzida por disseminação de gotículas ou através de contato direto com pessoas contaminadas.

O período de transmissão é iniciado uma semana antes e vai até cinco a sete dias após o aparecimento das manchas avermelhadas na pele.

A rubéola ocorre apenas uma vez na vida e o único hospedeiro do vírus é o ser humano. Os sintomas são semelhantes aos da gripe: febre, dor de cabeça, dor ao engolir, dores nas articulações e nos músculos, pele seca, congestão nasal, espirros, manchas na pele e aumento dos gânglios linfáticos (ínguas).

A rubéola apresenta alta contagiosidade. Durante a gestação, em casos de mães infectadas, pode correr risco de má-formação no feto, principalmente durante os três primeiros meses de gestação, abortos e natimortos. O diagnóstico é obtido pelo exame sorológico.

Também acompanharam a Campanha de Vacinação os secretários Jorge Lapas (Governo), Waldyr Ribeiro Filho (Obras e Transporte); o presidente da CMTO, Valdir Roque; a coordenadora do Orçamento Participativo, Nice Abrantes e o vereador Aluísio Pinheiro.

Além disso, verifique

22,5% da população de São Paulo consomem doces em excesso

Índice está acima da médica nacional, segundo pesquisa do Ministério da Saúde que alerta para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SEGURANÇA * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.