Início / Geral / Osasco gera 3227 postos de trabalho em 4 meses

Osasco gera 3227 postos de trabalho em 4 meses

Em abril, segundo Observatório do Trabalho, foram criadas 460 novas vagas, com destaque para o setor de Serviços

O mercado de trabalho de Osasco registrou, durante o mês de abril, a abertura de 460 vagas de emprego com carteira assinada. É o que aponta levantamento do Observatório do Trabalho de Osasco e Região, parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão da Prefeitura de Osasco, feito com base no Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego.

Com mais esse bom resultado, a cidade soma a geração de 3227 empregos formais nos 4 primeiros meses desse ano.

O destaque de abril foi o setor de Serviços, de onde vieram 114 novos postos de trabalho formais. O setor do Comércio foi a segunda atividade que mais demandou trabalhadores no município, produzindo um saldo de 205 postos.

O levantamento também aponta que a cidade vem registrando, nos últimos 12 meses, seguidos saldos positivos de vagas, com exceção de dezembro do ano passado.

Perfil

O Observatório do Trabalho também traçou um perfil do mercado de trabalho da cidade, com base nos resultados de março desse ano, quando foram geradas 757 vagas de mercado, Isso porque os dados de abril são uma prévia do Caged, enquanto os de março trazem informações mais completas.

O resultado de março foi 33,71% inferior ao de fevereiro e 35% menor se comparado a março do ano anterior. Já no acumulado de abril de 2007 a março de 2008 foram gerados 10.398 novos postos. “Esse saldo representa um crescimento no ritmo de criação de novas vagas, em relação ao mesmo intervalo precedente, de 151,04%, quando foram gerados 4.142 postos”, explica a secretária de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão, Dulce Helena Cazzuni.

O setor público continua sendo o principal contratador, respondendo por 25,75% das ocupações criadas no município em março. Já quanto aos grandes grupos ocupacionais, a maior parte das vagas foi destinada às ocupações relacionada aos Trabalhadores dos Serviços, Vendedores do Comércio (3.731).

“Quanto ao nível educacional, o mês de março mostrou predominância nas contratações de trabalhadores com maior nível de escolaridade, concentrando-se naqueles com 2º grau e superior completo”, afirma a secretária. “Já as vagas para trabalhadores com menor escolaridade viram o mercado de trabalho encolher, com maior redução do número de celetistas entre trabalhadores com 8ª série incompleta, de 6,08%”, completa.

Assim como em outros períodos, março também foi um mês positivo para os jovens entre 18 e 24 anos, que preencheram 48,27% das vagas de emprego surgidas em Osasco. Por outro lado, os trabalhadores com idade a partir de 40 anos tiveram resultados negativos na geração de vagas celetistas, com piores resultados absolutos para os que se concentram na faixa de 50 a 64 anos, com eliminação de 34 postos.

“Nos últimos doze meses, a faixa de trabalhadores entre 18 a 24 anos também foi a que obteve maior saldo acumulado, de 5.019 vagas, aumento de 34,2% em relação ao mesmo período entre 2006 e 2007 e 48,27% do saldo obtido de abril de 2007 a março de 2008”, acrescenta Dulce.

Ainda no mês de março, o movimento de ampliação dos postos de trabalho foi favorável a ambos os sexos, com uma pequena vantagem para os homens, que conseguiram preencher 425 (56,14%) das 757 vagas ofertadas.

“Se o período de abril de 2006 a março de 2007 foi bom para as mulheres em relação à sua participação no mercado de trabalho, com 60,16%, o acumulado dos doze meses seguintes inverteu essa tendência, favorecendo os homens, que passaram a ocupar 53,04% do total de vagas. No período analisado, o aumento do saldo de empregos para os homens foi de 3,34 vezes, enquanto para as mulheres foi de apenas 1,95 vezes”, analisa a secretária.

A pesquisa também mostra que os pequenos e grandes estabelecimentos continuam apresentando os melhores resultados em termos de geração de emprego no município de Osasco. “Em março de 2008, os estabelecimentos com até quatro trabalhadores mostraram saldo positivo de 196 novos postos. E as empresas com quadro de trabalhadores acima de 500 trabalhadores, juntas, abriram 470 contratações formais, 62,09% do total. Comparado ao mês de março de 2007, os estabelecimentos que empregam de 100 a 249 trabalhadores mostraram forte recuperação na criação de novos postos celetistas, saindo de um saldo negativo de 150 vagas para um saldo positivo de 152”, explica.

Já segundo os níveis de rendimentos, a oferta de novos postos de trabalho no mês de março foi concentrada na faixa que vai até três salários mínimos (97,89%). “Também neste grupo, houve uma forte inversão no perfil dos rendimentos do trabalho, quando comparado a março de 2007, que registrou predominância de salários até 1,5 mínimos (75,62%). Em igual período de 2008, ocorreu a elevação dos rendimentos oferecidos aos novos contratados na faixa entre 1,51 e 3 salários mensais (53,63%), sendo que as faixas compreendidas entre 2 e 3 salários constituíram 44,64% do total das novas vagas geradas”, diz a secretária.

No acumulado de abril a março de 2007 e 2008, as ofertas de trabalho com rendimentos entre 1,01 e 1,5 salários responderam pela criação de 5.235 novos empregos, metade das contratações para o período. Já os trabalhadores com faixas salariais de maior rendimento, acima de 5 salários, assistiram a uma redução no número de vagas nos 12 meses considerados, respondendo juntos por menos 476 vagas no município de Osasco.

“Mas o mercado de trabalho continuou mostrando bom desempenho para os trabalhadores com rendimentos entre 1,51 e 2 salários, com aumento do saldo nos doze meses entre abril e março de 2007 e 2008, chegando a 3.407 novas vagas, variação positiva de 40,32% em relação aos 12 meses entre abril e março de 2006 e 2007. O destaque para o período foi a melhora nas contratações com rendimentos entre 3,01 e 5 salários mínimos, que havia sido negativo no intervalo de abril de 2006 a março de 2007”, finaliza Dulce.

Além disso, verifique

22,5% da população de São Paulo consomem doces em excesso

Índice está acima da médica nacional, segundo pesquisa do Ministério da Saúde que alerta para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SEGURANÇA * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.