Início / Avisos / Osasco sedia pré-estréia nacional do filme “A Paz é Dourada”

Osasco sedia pré-estréia nacional do filme “A Paz é Dourada”

Osasco sedia pré-estréia nacional do filme “A Paz é Dourada”Filme, que retrata vida e obra de Euclides da Cunha, será exibido no dia 14 de agosto, no Teatro Municipal de Osasco. O diretor Noilton Nunes e a produtora Maria Sena vão ministrar oficina gratuita de cinema, na cidade, entre os dias 8 e 15 do mesmo mês.

Osasco vai sediar, no dia 14 de agosto, a pré-estréia nacional do filme “A Paz é Dourada”. A exibição do longa, que mistura ficção e documentário para retratar vida e obra do escritor Euclides da Cunha, acontece no Teatro Municipal de Osasco, às 20 horas, com entrada franca.

Com direção de Noilton Nunes e produção de Maria Sena, o filme é estrelado por Breno Moroni, Katja Alemann, Quim Negro e Dlima Loes, além de participação especial de Grande Otelo em sua última obra.

Sua narrativa destaca os pensamentos pacifistas e ecológicos de Euclides com proposta de participação positiva no movimento internacional pela Cultura da Paz e do entendimento entre os povos.

A filmagem foi iniciada em 1986, com as primeiras cenas rodadas em 35mm na cidade de São José do Rio Pardo, no interior de São Paulo, onde Euclides continuava escrevendo Os Sertões, sua maior obra, enquanto construía a ponte que atravessa a cidade. Mas o filme só foi concluído em 2007. Nesse intervalo, o roteiro foi se transformando, passando de um filme 100% ficção para uma obra que incorpora o próprio processo de realização em sua narrativa.

O filme retrata também importantes passagens da vida do escritor, como o convite pelo Barão do Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores do Brasil, para chefiar uma expedição ao Alto Rio Purus, no Acre, e sua morte, em 15 de agosto de 1909, em um duelo com Dilermando, amante de sua mulher Ana.

Osasco sedia pré-estréia nacional do filme “A Paz é Dourada”Curso

Segundo o diretor e a produtora, Osasco foi escolhida para a pré-estréia nacional do filme como parte das comemorações dos 40 anos da Greve dos metalúrgicos que foi um marco na resistência contra o regime militar. Além disso, o Banco Bradesco,é um dos patrocinadores da obra e tem sua matriz na cidade.

Com currículo formado por obras importantes no cinema nacional, Noilton Nunes e Maria Sena também vão ministrar, em Osasco, uma “Oficina Livre de Cinema”.

O curso, voltado a alunos da Fito (Fundação Instituto Tecnológico de Osasco) e da Educação de Jovens e Adultos (EJA), tem duração de uma semana e acontece entre 8 e 15 de agosto, na própria FITO. A oficina será dividida em dois blocos: “Relizando um filme de ficção” e “Realizando um documentário”, ambos com noções de roteiro,análise técnica, pré-produção, gravação e finalização. Os curta-metragens produzidos terão exibição no auditório da Fito, no dia 15 de agosto.


Osasco sedia pré-estréia nacional do filme “A Paz é Dourada”Sinopse do filme A Paz é Dourada

Era uma vez um menino chamado Euclides que vivia na Fazenda Saudade. Era uma vez o sonho de um filme de ficção inspirado na vida e obra desse menino
que cresceu poeta, militar, engenheiro, jornalista e escritor: Euclides da Cunha,
autor de “Os Sertões”, épico sobre a guerra de Canudos que aconteceu no interior da Bahia, no final do Século XIX.

Em 1904, à convite do Barão do Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Euclides parte para a Amazônia, chefiando uma expedição com o objetivo de evitar uma guerra com o Peru, por causa da borracha. O filme destaca Euclides como um mensageiro da Paz e do entendimento entre os povos.

Saiba mais sobre o diretor

Noilton Nunes produziu, roteirizou, dirigiu, fotografou e montou diversos documentários, desenhos animados e curta-metragens, como “A Fábula da Festa no Céu”, “Judas Ashverus”, “Daime Santa Maria”, “Histórias do Cotidiano”, “Tesouros Humanos Vivos” e “Leucemia”. Este último recebeu vários prêmios e se transformou no filme símbolo do Movimento da Anistia.

Co-produziu também longas como “Ladrões de Cinema”, de Fernando Cony Campos e “Na Boca do Mundo”, de Antônio Pitanga. Dirigiu ainda “O Rei da Vela”, com José Celso Martinez, que ganhou 3 Kikitos no Festival de Gramado de 1983 e representou o Brasil no Festival de Berlim de 1994.

Contatos para entrevista: (21) 2535 2112

Saiba mais sobre a produtora

Maria Sena é diretora da “Scena Filmes” junto com Tizuka Yamasaki, e tem em suas obras “Gaijin”, “Pátria Amada”,”Parahiba Mulher Macho” “Gaijin 2” de Tizuka Yamasaki, “ Paixão Perdida” último filme de Valter Hugo Cury, bem como obras da TV Globo como “O Pagador de Promessas”, “Madona de Cedro”, “Engraçadinha” e da TV Manchete “Kananga do Japão”, “Pantanal” , “Amazônia” , e vários curta- metragens.

Contatos com Maria Sena: 021 2547 3698/ 35074406/ 9187 1231

Além disso, verifique

22,5% da população de São Paulo consomem doces em excesso

Índice está acima da médica nacional, segundo pesquisa do Ministério da Saúde que alerta para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SEGURANÇA * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.