Início / Avisos / Programa habitacional da prefeitura vai atender famílias do MTST

Programa habitacional da prefeitura vai atender famílias do MTST

Programa habitacional da prefeitura vai atender famílias do MTSTGrupo de 160 famílias que ocupa prédio abandonado no Jardim Novo Osasco e que já enfrentou 6 despejos será beneficiado com moradias

“Estamos atendendo a uma reivindicação de quem luta e se organiza”. Foi assim que o prefeito Emidio de Souza classificou a assinatura de um Termo de Compromisso de Demanda para atender, no programa habitacional de Osasco, famílias ligadas ao MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto) que ocupam um prédio particular, abandonado, no Jardim Novo Osasco.

Serão beneficiadas, ao todo, 160 famílias, entre as que estão no prédio e outras, que também integram o movimento mas que hoje estão morando em casa de parentes. Todas já foram cadastradas pela Secretaria de Habitação.

Durante a assinatura, que aconteceu no prédio ocupado pelas famílias, o líder do MTST, Jota, traçou um histórico do movimento em Osasco e afirmou que, apenas na administração do prefeito Emidio de Souza, encontrou espaço para diálogo e negociação.

“Iniciamos nossa luta em 2002, quando 5,2 mil famílias ocuparam uma área no Parque dos Príncipes. Ficamos 6 meses lá e após uma desocupação violenta, fomos para Guarulhos, em um terreno do governo do Estado. Mas apenas um mês depois, sofremos novo despejo e voltamos para Osasco, onde ocupamos os prédios do ex-deputado Sérgio Naya. Muitos desistiram, mas os que ficaram foram novamente retirados e ocuparam um terreno às margens do Rodoanel. Houve novo despejo e viemos aqui para o Novo Osasco. Durante todo esse tempo, só na administração do prefeito Emidio fomos ouvidos e hoje firmamos esse acordo, que é bastante positivo”, disse.

Também presente ao evento, o secretário de Habitação, Sérgio Gonçalves, afirmou que as áreas onde serão construídas as 160 casas já estão sob análise. “Mas já obtivemos parte dos recursos junto ao governo federal e as obras devem começar ainda em julho”, disse.

O prefeito Emidio de Souza, por sua vez, afirmou que acompanha a luta do movimento mesmo antes de ter sido eleito prefeito. “Desde que assumi a prefeitura, tenho vontade de resolver esse problema, que vi nascer. Acompanhei, inclusive, quando vocês foram despejados pela primeira vez e o poder público virou as costas. Por isso, seis anos depois, fico muito feliz de anunciar um ponto final nesse sofrimento”, disse.

Também participaram do evento o deputado federal João Paulo Cunha, o deputado estadual Marcos Martins, a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Marcia Abreu, os secretários municipais Gelso Lima (Saúde), Jorge Lapas (Governo e Chefe de Gabinete), Mazé Favarão (Educação), Antônio Jardim (Indústria, Comércio e Abastecimento), Cláudio Sérgio da Silva (Esportes, Recreação e Lazer) e o vereador Antônio Toniolo.

Além disso, verifique

22,5% da população de São Paulo consomem doces em excesso

Índice está acima da médica nacional, segundo pesquisa do Ministério da Saúde que alerta para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SEGURANÇA * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.