Início / Cidadania / Vencedores do Prêmio Rosani Cunha discutem Economia Solidária em Osasco

Vencedores do Prêmio Rosani Cunha discutem Economia Solidária em Osasco

Além do projeto premiado de Osasco, encontro contou também com projetos de Presidente Prudente, do Paraná e de Minas Gerais

Entre os dias 15 e 16 de agosto – quarta e quinta-feira – a Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão (SDTI), promoveu um encontro entre os participantes e gestores de projetos nacionais vencedores do Prêmio Rosani Cunha de Desenvolvimento Social. O prêmio é uma homenagem à ex-secretária nacional de Renda e Cidadania, Rosani Cunha, falecida em acidente de carro, em novembro de 2008.

O evento aconteceu no Centro Público de Economia Popular Solidária, localizado na Rua Dimitri Sensaud de Lavoud, 70, e contou na abertura com a presença do prefeito Emidio de Souza. Fizeram também parte da mesa, a titular da SDTI, Dulce Helena Cazuni; João Claudio, coordenador da Secretaria de Articulação para Inclusão Produtiva, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS); e Irma Passoni, diretora do Instituto de Tecnologia Social. Estiveram presentes ainda os secretários de Osasco, Waldyr Ribeiro (Obras e Transportes), e Jorge Lapas (Governo)

Além do programa premiado de Osasco “Incubando Empreendimentos Populares, tecendo uma estratégia de Desenvolvimento Socioeconômico Justo”, o encontro recebeu também os projetos “De Volta para Casa”, do estado de Minas Gerais; “Informação para o Desenvolvimento Social”, de Presidente Prudente; e “Hortas Comunitárias” de Maringá (PR), além de representantes de outros estados. O encontrou contou com palestras, exposições e visitas a diversos projetos solidários de Osasco.

A premiação, coordenada pela Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação do MDS, tem como objetivos identificar, valorizar e divulgar práticas bem sucedidas de gestores de programas sociais, assim como estudos acadêmicos nas áreas de desenvolvimento social: segurança alimentar e nutricional, renda de cidadania, assistência social e inclusão socioprodutiva. Na abertura do evento, antes dos primeiros relatos sobre os projetos vencedores, foi passado um vídeo sobre os diversos programas desenvolvidos pela administração municipal de Osasco, como a Incubadora de Empreendimentos Populares, Cooperativa de Costureiras, Hortas Comunitárias, dentre outros.

Os resultados alcançados com essa política de inclusão são os mais diversos, como a melhoria da renda per capita , o aprimoramento da educação e a formação e capacitação técnica dos atendidos; além de reinserção no mercado de trabalho. Os projetos proporcionam também, como frisou a secretária Dulce Helena, a formalização e a legalização de empreendimentos, com a respectiva construção da autogestão e gestão coletiva e democrática, além da abertura de novas perspectivas e possibilidades de trabalho. Esses resultados são medidos por um sistema integrado de gestão (SIG INC), com indicadores de estrutura do empreendimento, bem como de aspectos ligados à inclusão social dos indivíduos envolvidos nos empreendimentos monitorados. Atualmente, há 27 desses empreendimentos populares solidários em processo de incubação, além de 10 empreendimentos legalizados, sendo 3 cooperativas, 5 microempresas e 2 associações. Além desses, 120 empreendimentos recebem formação e capacitação em gestão de negócios.

Modelo para o país

Para o representante do governo federal, João Claudio, os projetos de Economia Solidária já desenvolvidos em Osasco servem de exemplo para o país. “O governo federal já fez muito pelos excluídos, mas, sabemos que ainda tem muito que se fazer para que todos tenham oportunidades iguais. Estou muito feliz em conhecer Osasco que é um modelo para todo o Brasil”, disse o representante do Ministério do Desenvolvimento Social. Antes do prefeito Emidio, falaram também sobre a importância do evento Irma Passoni e a secretária Dulce Helena.

Ao iniciar a sua fala, o prefeito Emidio de Souza enfatizou que “apesar da experiência vitoriosa de Osasco, não temos a pretensão de ensinar nada para ninguém, pois, sei que em todos os cantos deste país tem projetos sérios e vitoriosos”, disse Emidio, relembrando o início de sua administração e do começo dos projetos de Economia Solidária. “Quando olhamos para trás parece que tudo já começou com sucesso. Mas, não foi assim. Foram vários obstáculos e tropeços que tivemos que superar com o auxílio de todos. Hoje, no Brasil, as políticas sociais do governo federal visam, não somente, a ajuda emergencial, mas, sobretudo a emancipação das pessoas. Nos próximos meses vamos regulamentar a lei do Fundo Municipal de Inclusão Produtiva, um fundo para alavancar a Economia Solidária em Osasco sem a burocracia bancária”, afirmou o prefeito.

Exemplo prático

Uma prova concreta do sucesso da Economia Solidária em Osasco é o testemunho de Albertina Lima, ex-beneficiária do programa Bolsa Família. Emocionada, ela fez um relato de sua vida desde antes de receber o benefício até hoje, quando realizou o sonho de ser uma artesã formada e vive da renda de seu próprio negócio. “Fazia parte do Bolsa Família quando fui chamada para participar da oficina de costura. Mas, o meu sonho era ser artesã. E consegui, graças à ajuda que tive da Prefeitura. Aqui, com o pessoal da SDTI, encontrei uma família maior que me ajudou e que nunca me abandonou. Hoje, vivo do meu trabalho e estou disposta a ensinar a outros tudo que aprendi”, disse a artesã Albertina.

Além disso, verifique

Jogadores do GEO distribuem macacões para bebês na Maternidade Amador Aguiar

Durante mais de duas horas, Viola e Índio alegraram o ambiente no hospital, conversando e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SEGURANÇA * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.