Início / Cultura e Lazer / Osasco é palco de debate sobre Sistema Nacional de Cultura

Osasco é palco de debate sobre Sistema Nacional de Cultura

A Prefeitura de Osasco promoveu entre os dias 27 e 29 de julho a 3ª Oficina no Estado de São Paulo sobre o Sistema Nacional de Cultura, dispositivo de política pública oriundo do Ministério da Cultura.

O evento foi realizado no auditório do Centro de Formação dos Profissionais da Educação, situado na avenida Marechal Rondon, 263, Centro. O encontro reuniu 30 municípios do Estado de São Paulo além de estudiosos da Universidade de São Paulo (USP) e teve por objetivo discutir uma política pública de verticalização na área da cultura, que promova sintonia entre as ações de municípios e Estados em conformidade de diretrizes da União a fim de receberem adequadamente repasses e transferência de recursos federais.

Durante a solenidade de abertura, o secretário executivo em exercício do Ministério da Cultura, Gustavo Vidigal, ressaltou a importância do encontro. “As oficinas promovidas são muito importantes para o Ministério da Cultura porque falamos de um mecanismo que visa dar uma lógica harmônica de política pública entre os entes federativos”, destacou.

O secretário ainda lembrou que, atualmente, o Ministério da Cultura tem um orçamento de R$ 850 milhões que podem ser acessados imediatamente, sendo 30% transferidos para estados e municípios. “No entanto, para fazer isso o estado ou município precisam ter um Plano, Conselho e Fundos próprios. Esses são os pilares onde se assenta o Sistema Nacional de Cultura. Essa medida é importante para que o dinheiro não seja gasto por outras secretarias, como esporte, saúde, transportes, etc. O dinheiro repassado pela União deve ser direcionado e ser usado exclusivamente para o órgão competente ao qual a verba foi destinada”, resumiu.

Ainda segundo ele, o objetivo do Ministério da Cultura é oferecer, por meio das oficinas, esclarecimentos de como os municípios podem consolidar um Conselho Municipal para gerenciar o uso dos recursos angariados por eles, bem como elaborar um Plano Municipal de Cultura e como gerenciar um Fundo Municipal. “É preciso que as cidades se organizem do ponto de vista político”, emendou.

Gustavo destacou ainda que a grande batalha dos órgãos envolvidos na cultura é pela aprovação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 150 no Congresso Nacional, que visa destinar 2% do orçamento federal, 1,5% do estadual e 1% do municipal para a pasta da cultura.

A secretária Municipal de Cultura, Maria Helena Ferrari, elogiou a iniciativa do encontro e falou das perspectivas para a cidade. “Osasco tem agora o desafio de estabelecer um Plano Municipal de Cultura sistematizado para conseguirmos, assim, participar ativamente do Sistema Nacional. Com isso, conseguiremos mais recursos e nos adequar melhor a uma legislação apropriada”, comentou.

Já Paulo Fiorilo, secretário de Administração de Osasco, frisou o envolvimento do governo osasquense com o assunto. “É importante destacarmos as ações intersecretariais. Hoje, possibilitamos uma Mostra de Artes, um Festival de Música e uma Olimpíada do Servidor, que são iniciativas que envolvem diversas áreas da Prefeitura. Osasco sempre estará aberta para discutir e debater assuntos de interesse público e cultural. A iniciativa da formação de um Plano, um Conselho e um Fundo tem muita importância até mesmo para podermos buscar recursos e aplicá-los na nossa cidade”, revelou.

O prefeito de Osasco, Emidio de Souza, encerrou o discurso de abertura da oficina dando destaque para a magnitude do evento. “Experiência no campo da cultura muitas cidades tem, mas Osasco foi escolhida para sediar o encontro porque ganha destaque na questão da economia solidária vinculada à cultura. Ou seja, vemos na cidade a cultura podendo resgatar o sentido de cidadania e dar oportunidade de emprego. Nesse aspecto, a cultura é uma importante fonte de renda que aparece por meio da formação de cooperativas, por exemplo, quando o poder público acredita na produção local e investe no cidadão comprando muitas vezes a sua produção. Espero que sejam lançadas luzes sobre as atividades culturais e como os municípios podem trabalhar para ajudar o Ministério contribuindo com o avanço do país”, finalizou.

Também estiveram presentes no evento o secretário municipal de Governo, Jorge Lapas, a chefe Regional do Estado de São Paulo do Ministério da Cultura, Cecília Garçoni, a diretora do Projeto Veredas, Bete Parro, o coordenador de Relações Internacionais de Osasco, Aldo Miranda Rocha, e a vice-prefeita de Taboão da Serra, Márcia Regina da Silva, entre outras autoridades.

Além disso, verifique

Osasco comemora seus 51 anos com uma programação extensa

Osasco chega aos 51 anos de emancipação político-administrativa como a 4ª cidade mais rica do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SEGURANÇA * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.